Câmara Inversa

sábado, dezembro 09, 2006

Pensamento

Pão, circo, etimologia e afins...


O Coliseu - Roma

Na Roma antiga, os imperadores costumavam jogar os cristãos aos leões para divertir o povo. Fazia parte da política panis et circenses (pão e circo) que consistia em dar pão e diversão à plebe miserável, a fim de acalmar os possíveis instintos de revolta.

Nessa dinâmica de manipulação e controle da massa, característica da demagogia (do grego demos “povo” + agogos “líder, aquele que conduz”), a etimologia nos permite algumas conclusões interessantes. As classes dominantes são geralmente associadas aos termos aristocracia e oligarquia. A etimologia da palavra “aristocracia” nos dá algumas dicas sobre o que realmente constituía este grupo na antiga Grécia. A palavra se origina da união do termo aristos (“os melhores”, são os possuidores de arete – “virtude, excelência”) com o termo kratos (“domínio, poder”). O termo aristos, porém, tem sua origem no proto-indo-europeu ar-isto, superlativo de ar, que significa “melhor adaptável” ou “combinar junto” (relacionado à palavra “aresta”). Todavia, em nossa opinião, a aristocracia, era na verdade, a kakistocracia (“os piores no poder”, do grego kakistos "o pior", superlativo de kakos "ruim", termo que é geralmente relacionado à palavra do Indo Europeu para "defecar").

O termo oligarquia é fruto de união dos termos gregos oligoi (poucos) com arkhein “reger, domínio, poder”. Significa, portanto, “poucos no poder” ou “poder dos poucos”. Porém, se misturarmos aristo-cracia com olig-arquia chega-se a uma palavra interessante: oligocracía, cujo significado continua sendo algo como “poucos no poder”. Todavia, esta palavra é muito parecida com a expressão grega ολιγο κρασί (oligo crassí, "um pouco de vinho"). Desdobrando o significado, poderíamos dizer que os “poucos no poder” devem oferecer “um pouco de vinho” para acalmar o povo, na mesma dinâmica do panis et circenses. Desde a antiguidade associada às festas, inclusive aos bacanais (as festas de Baco, o deus do vinho), esta bebida seria a expressão do circo na política de dominação social romana. Inclusive, a versão grega de Baco é Dionísio, palavra também associada a outro termo grego que se relaciona ao vinho. Segundo alguns, a palavra Dionísio é uma variante do grego oinos, palavra que deu origem ao termo “enólogo”, profissional responsável pela produção e por todos os aspectos relacionados com o produto final do vinho.

Todavia, o termo grego para vinho, κρασί (crassí) é muito semelhante à palavra russa para “vermelho”, красный (crasni), o que nos remete a outra analogia comumente relacionada ao vinho: o sangue. Além da comparação cristã do vinho com o sangue de Cristo, o vermelho é o que caracteriza o homem desde os tempos antigos. No relato Bíblico do Gênesis, o primeiro homem criado por Deus ganhou um nome muito curioso. Enquanto a palavra “Adão” pode significar “homem”, o termo hebraico adam é muito semelhante à palavra “vermelho” na língua hebraica, adom. Isto porque Adão foi feito do “pó da terra” e, em hebraico, terra é adama. Tanto o homem quanto a terra são identificados pela cor vermelha.

Portanto, não só o vinho se relaciona ao homem devido à cor do sangue, mas a própria cor avermelhada da terra foi identificada com o homem. Isto porque até mesmo a terra está relacionada com o sangue. Na verdade, o que dá o tom a vermelhado ao sangue é o ferro. Em sua função primordial de transportar o oxigênio para todo o corpo, é o ferro situado no interior das hemácias (literalmente, “células do sangue”, também chamadas pelo termo de mesmo significado, eritrócitos) que consegue sugar o O2 e transportá-lo. Assim também a terra tem sua cor vermelha devido ao ferro e aos outros metais nela presentes. Daí a denominação, na coluna 2ª da tabela periódica, de metais “alcalinos terrosos”. Assim, terra e sangue são unidos pela cor vermelha do ferro.

Voltando à relação entre a “oligocracia” com a política do panis et circenses, não só o vinho funciona como o “circo” mas o sangue às vezes se faz presente, pois nem sempre o povo é tão passivo e dócil quanto se espera.



4 Comments:

  • O pão e o vinho sempre acompanharam o ser humano na face da terra. Os dois itens mencionados são tão importantes, que foram perpetuados na memória do cristão para sempre, por intermédio de Nosso Senhor Jesus, Cristo em sua Santa Ceia...

    By Anonymous Edgard Garcia, at dezembro 15, 2006 8:07 AM  

  • NSU - 4ever, 5210 - rulez
    [URL='http://bk-magazin.com']mudila[/URL]
    [URL=http://bk-magazin.com]mudila[/URL]

    By Anonymous Anônimo, at março 16, 2007 8:46 AM  

  • Photo from my Best weekend in this year ! ! ! ( [url=http://webraindor.info/wiki/phentermine][b]phentermine[/b][/url] )
    Look it here :

    [url=http://greatrxinfo.info][b]I and my Girl [/b][/url] or [url=http://panadolinfo.info][b]My friends girl[/b][/url]

    By Anonymous Anônimo, at abril 11, 2007 9:00 AM  

  • Muito curioso! esta temática da cor do vinho, da terra e do sangue e a sua inter-relação com o homem.Todavia a cor do vinho é devida à presença de pigmentos existentes na uva, quimicamente polifenóis...
    Fiquei a saber a razão da cor da terra e do sangue, devida à presença do ferro....

    By Anonymous Anônimo, at setembro 23, 2007 10:07 AM  

Postar um comentário

<< Home