Câmara Inversa

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Antoni Gaudi - um gênio da arquitetura



Quem conhece a pacata cidade catalã de Reus não imagina ser ela o berço de um dos arquitetos mais criativos de todos os tempo. Nesta pequena cidade próxima a Barcelona - cujo nome vem da época em que ainda era província romana, lugar para onde eram enviados os réus - nasceu Gaudi na rua Sant Vicenç n°4, em 1852.

Influenciado pelo racionalismo estrutural de Viollet-le-Duce e pela exploração empática das formas sugerida por Ruskin, quanto ao acerto romântico da verticalidade das igrejas medievais, Gaudí criou um estilo totalmente pessoal e inimitável, com reverberações do estilo Neogótico.





Entre 1889 e 1908, Gaudi desenvolveu o projeto da Igreja Colônia Güell com um método altamente inovador: o modelo suspenso. Com este modelo em posição invertida, uma estrutura muito leve de pedra pôde ser desenvolvida.





O modelo suspenso se baseia na teoria da reversão do catenário. O Arco Catenário foi um problema proposto por Jacob Bernoulli (1654 - 1705) em 1691, em tom de desafio, ao seu irmão Johann (1667 - 1748), que o resolveu juntamente com Huygens e Leibeniz. O problema consistia em buscar uma forma equilibrada de um fio suspenso com a menor energia potencial ou similarmente aquela cujo centro de gravidade fosse o mais baixo possível. Ou seja, uma corrente apoiada por dos pontos deveria ficar suspensa espontaneamente na forma de um arco. Todavia, somente forças de tensão poderiam existir na corrente.

Com a idéia de Gaudí de inverter a posição do catenário, foi possível criar uma miniatura perfeita de arcos de pedra, e nele somente forças inversas de tensão (neste caso, compressão) iriam atuar, o que dava uma idéia muito acurada da distrubuição das forças na estrutura em tamanho real.

Por sua grande criatividade e seu poder de "inverter", Gaudí não poderia deixar de figurar na "Câmara Inversa".

2 Comments:

  • Adoro Gaudí, mas tenho verdadeiro pavor dos arquitetos que fazem atrocidades dizendo que estão seguindo o estilo dele. Sempre curti o olhar orgânico que ele deu às suas obras, mas não conhecia estes pontos técnicos, os desafios da dinâmica. Como você escreveu, é inimitável.

    By Anonymous Gabi, at fevereiro 13, 2006 9:52 AM  

  • Realmente muito peculiar! Não sabia que aquela catedral fora feita por ele, lembro que passei horas olhando pra ela, tentando entender como ela ficava em pé!!!

    By Blogger Fabio Silveira, at fevereiro 13, 2006 3:16 PM  

Postar um comentário

<< Home